Agora também aqui

terça-feira, maio 15, 2007

Eurovision Song Contest

Não vi a semi-final, mas vi a final.

Incrível...

Tinha-me apercebido que a votação da semi-final tinha sido controversa. Disseram-me que muitas boas músicas/canções ficaram pelo caminho, que muitas canções sem qualidade passaram à final. Aparentemente o critério principal foi a "vizinhança". Até aí, nada de novo. Mas nunca de uma forma tão descarada como este ano. Só os países de leste passarem à final.

Hoje a final. Ridículo...

Alguns dos países de leste tinham boas músicas. Alguns dos ocidentais também. Mas basta olhar para a classificação final para perceber que ali, o mais importante não foi a qualidade nem a interpretação da canção.

Embora não tenha gostado das canções do Reino Unido, França e Irlanda, houve bastante piores. Mas são estes os países que ficaram no fundo da lista. A Arménia, com uma má música, má interpretação, má voz (aquela cena no final em que põe a mãozinha no peito e começa a sangrar...), ficou com uma excelente classificação!?! A Espanha que tinha uma boa música, definitivamente não a melhor, ficou também no fim, muito mal a meu ver!

A Rússia, com uma música mediana, foi nítidamente levada ao colo até aos lugares cimeiros.

Quanto à Sérvia, a vencedora. Gostei. Muito lesbiana, MUITO LESBIANA MESMO. Mas decididamente não a minha favorita.

A maior desilusão pessoal, a não vitória da minha favorita. A Geórgia! Aquilo sim! A Bulgária, a Eslovénia... Enfim...

Mas com este método de votação... Sociologicamente até é interessante analisar a coisa. Dá para ver como os fluxo migratórios influenciam uma sociedade. A Espanha deu 12 pontos à Roménia?! Ou seja, os milhões de pessoas de leste que vivem na europa ocidental votaram nos seu amigos/vizinhos, independentemente da qualidade das músicas.

Gostei da reacção do público. Gostei dos apupos e dos assobios que surgiram sempre que uma má música tinha uma boa votação. Até gostei do Jorge Gabriel e dos seus comentários acerca deste tema (teve alguns bem mauzinhos...).

Gostei de esta "indignação" estar por todo o lado. Enquanto escrevo este texto, estou a ver o pós festival na TVE. Os meninos espanhóis acabaram de ser entrevistados. Quer eles, quer os acompanhantes comentam o mesmo. O que irrita, não é o facto de não terem ganho, é a sensação de injustiça que corre por todo o lado. Um deles chegou mesmo a dizer, que se algo não mudar, dificilmente um país ocidental com uma boa música conseguirá voltar a vencer, como Espanha, França, Inglaterra ou Portugal (gostei tanto de o ouvir dizer Portugal...e o miúdo até é...interessante).

5 comentários:

pedropina disse...

eu nao vi, mas agora é como se tivesse visto!!! obrgd pla descriçao!! fikei a ver tudo!

p.p.

heartvibes disse...

Sinceramente nem sabia que ainda havia tantas pessoas que davam importância a este festival. A quantidade de bloguistas que falam sobre ele é enorme. A mim passa-me completamente ao lado, seja como for graças a ti e a outros quando o tema vier à baila não me vou considerar um leigo.

Acho que esse festival tem os dias mais que contados, é tipo os jogos sem fronteiras!

abraço :)

x4x_it disse...

AH! Os jogos sem fronteiras estão de volta! Eheh! Irónico não!? Ah, e neles ganhávamos muitas vezes, tantas que uma das novas edições será apresentada numa das nossas cidades! =P

P.S.: My story ou Visionary Dream (ainda existem os dois nomes!) da Sopho tb era a minha preferida! =( Buah! Mas olha, diz-se por aí que um país 'não pode' ganhar na primeira vez que concorre! =P

Momentos disse...

Bom resumo e assino por baixo...

Miguel disse...

Parece que foi mesmo ridículo... Infelizmente não pude ver, mas tenho acompanhado as reacções. Em alguns jornais até li que se pensa em fazer duas edições em separado do festival... Vamos lá ver como isto se resolve.

Blip.fm