Agora também aqui

sexta-feira, agosto 21, 2009

Amanhã

A semana foi passada longe.
Não fui expulso, não fui escorraçado.
Não fui propriamente "recebido" com entusiasmo. Foi... incómodo, triste.

Semana de telefonemas com a mãe, que está triste, muito triste segundo as suas palavras. Mas que manda sempre um grande beijão no final.

Pode ser que com o tempo....

Amanhã regresso a casa dos pais.
Não deve ser fácil para ela esconder do meu pai.

12 comentários:

pinguim disse...

A posição das mães, nestas situações, também não é fácil, mas tendem a ser um factor de equilíbrio...
Que tudo corra bem.
Abraço.

Individual(mente) disse...

Faço minhas as palavras do João.
Forte abraço.

TheMenBehindTheCurtain disse...

O tempo pode até não recuperar totalmente as coisas tal como estavam, mas o coração de uma mãe nunca muda... E eventualmente a felicidade que terás pela tua escolha da vida ajudará a conformar a tua mãe com a ideia, já que ela deseja apenas ver-te bem com a vida.

Quanto à questão do teu pai, acredito que seja difícil para a tua mãe manter isto. Mas pronto...Força mesmo para o quer que venha a desenrolar desta situação! Bem mereces.

Maxwell disse...

Não queria ser negativista e desculpa desde já a intrumição n'um assunto delicado como este, mas há mães que demoram bastante tempo a conformar-se ou não o chegam a fazer mesmo. Mas, no teu caso, a tua mãe diz que está triste o que não é mau de todo. Um amigo meu hoje disse-me que a mãe dele diz (frequêntemente) que é uma desilusão. Embora pareça apenas semântica, o que está por trás é diferente.
Pareces ser um caso em que as coisas se vão resolver da melhor maneira.
Boa sorte com o regresso a casa ;)

Renato Miguel Araújo disse...

Olha, estando um bocadito de fora, vou contar-te o que se passou comigo. Aos 16 contei à minha mãe, depois de ter acabado o meu primeiro namoro com um homem. E contei-lhe assim, de rajada e pronto. É claro que nos primeiros tempos foi difícil para ela, sempre que eu saia de casa, notava que ela tremia e pensava as piores coisas, mas entratanto tudo foi mudando. Hoje tenho uma relação super estável, temos a nossa casa, a nossa vida e tudo o que a minha mãe mais gosta é que a vamos visitar de vez em quando, e até trata a filha dele como uma neta! Por outro lado, a minha irmã, que eu julgava que ia entender, esteve uns 3 anos sem falar comigo! Os meus pais são separados e não tenho qualquer relação com o meu pai, mas parece-me que é demais largares assim uma bomba no colo da tua mãe e pedir-lhe segredo.
Não te vou dizer que tudo vai passar, não sei disso, mas a minha expriência mostrou-me que fiz a escolha certa!
Abraço

inixion disse...

Força.
Os primeiros tempos são de adaptação e são sempre incómodos e dificeis.. a tua mãe gosta mt de ti decerto e está a tentar arranjar um equilibrio para que futuramente "com o andar da carruagem" as coisas não pareçam assim tão estranhas.

Espero que as coisas, corram pelo melhor...e como disse no post anterior..é dar tempo ao tempo :)

F3lixP disse...

As mães são mais fortes do que julgamos e por nos amarem conseguem fazer malabarismos impensáveis, desenvolveram novas formas de estar que julgam impossíveis!
Vai correr tudo bem!
Abraço

Pijaminha disse...

Força e um grande abraço.

BinhoSampa disse...

Enfrente o problema de cabeça em pé! Não podemos nos abater pela adversidade!!! Posso parecer frio, mas a vida que nos ensina isso.

Aprendi que a vida é para os fortes porque os fracos desistem!

Abs e boa sorte!!!

Tongzhi disse...

Apesar de alguma necessidade, de ambas as partes de monitorizar o que o outro sente ou pensa, deixar correr o tempo sem "repisar" no assunto parece-me uma boa opção.
Mas cada caso é um caso...
Também me parece essencial não permitir nenhum afastamento.
Que tudo se recomponha é o que te desejo.
Abraço

X disse...

É uma fase. As mães têm sempre muitos planos e projectos para nós e qunado a nossa sexualidade colide frontalmente a 120km/h com esse planos as coisas podem-se tornar confusas e dolorosas. É preciso tempo para que as coisas estabilizem e sejam processadas para que façam sentido. Muita calma e coragem. Muita força. Abraço

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Meu querido (desculpa a intimidade no trato mas, olha, apetece-me), não é fácil ser-se diferente. Não é. Sou mulher. Sou heterossexual, mas poderia não ser. Mas também tenho diferenças. Tenho diferenças tão grandes das mulheres ditas "comuns" que isso causa alguma dor. Eu sei. As piores diferenças, aquelas que nos chicoteiam a alma, são as que encerramos entre as quatro paredes que temos cá "dentro".
Para essas diferenças não há remédio, não há cura, não há forma de se lhes escapar.

Tu decidiste assumir a tua diferença. Decidste vivê-la. Acho bem. Mas assume-a em pleno. Não deixes que a tua mãe carregue um fardo tão pesado sozinha. Carregar um segredo tão gritante como esse deve ser um tormento. É pior do que revelares uma verdade que possa ferir todos os que te rodeiam. Não sentes esse peso nos ombros? REVELA-TE. TEM CORAGEM. Sentir-te-ás melhor contigo, mesmo que o silêncio ou algumas palavras que possas ouvir te magooem. Mesmo assim... Viveres "escondido" deve magooar-te ainda mais. A cada dia que passa. Todos os dias. Liberta-te dele. Não vivas em segredo. Mereces mais.

Desejo-te tudo de bom.

beijinho

Blip.fm