Agora também aqui

quinta-feira, outubro 26, 2006

Tickets

Esta tarde fui buscar os bilhetes. Dia 4 digo-vos adeus, até breve, até dia 26...

A manhã de trabalho prolongou-se até à três e meia. Os planos de chegar cedo a casa começaram a ir por água abaixo. Almoço: pão de leite misto e galão. A cabeça já tinha começado a doer, fruto da falta de café, que em vez de ser tomado de manhã cedo, só o foi perto do meio dia.
Atrasado, resolvo apanhar um táxi. Um velho baixinho, que quase que se tinha de por em bicos de pés para olhar pelo retrovisor.
- Rua de caselas.
- Onde?
- Perto do cemitério da Ajuda.
- Ahhh... e qual acha que é o melhor caminho?
(comecei a assustar-me..)
Seguimos viagem.

- Acho que fiz meti a pata na poça...
- Não... é para este lado, vire aqui à esquerda que deve ser por aqui... (atenção, eu nunca ali tinha estado! Era eu que era suposto não conhecer) Agora experimente a virar aqui... E aqui... Sim! Pare aqui!

Cheguei!

Os bilhetes estavam emitidos, mas ainda faltava uns papeis...
Esperei...
Esperei...
O computador encravou. O rato e teclado sem fios deixaram de funcionar...
Troca de pilhas.
Nada...

- Fazemos o seguinte.O senhor leva os bilhetes e envio o resto por mail.
- OK!

Apanhar autocarro. Demasiado trânsito.
Enxaqueca a agravar.
Vontade de vomitar.
Ideia de apanhar o metro e andar kms até casa começa a parecer-me demasiado.
Saio do autocarro.
Apanho táxi.

Não tenho nada contra, mas apanho táxi, condutora do sexo feminino. (daquelas mesmo feias, mesmo mesmo feias, tipo homem gordo com barba)
Deixa o carro ir abaixo antes de partirmos...
- Quintas dos Barros.
- hã? onde?
- Pode ir em direcção de Santa Maria que depois explico...
- Santa Maria ?
- Sim, o hospital...
- ahh E qual acha que é o melhor caminho?
(Mais uma vez começo a ficar preocupado...)
Eis que começa a tentar introduzir dados num GPS... enquanto conduz. Não encontra.
- Não será de barros em vez de dos barros?
- Siga em direcção de santa maria que eu depois indico...
Aquele aparelho magnifico continuava a indicar direcções sabe-se lá para onde... mas nunca para onde devia.
Só se ouvia.
- volte para trás e volte à direita.
- dentro de 100 metros volte à esquerda.

entretanto a senhora tentava desalmadamente introduzir os dados.
- sabe, este equipamento é muito sensível ao toque. eu carrego no b e ele põe logo o n
(normal qd se tem unhas de gaija, dedos gordos e se tenta teclar num écran mínimo)
No meio disto, conversa de circunstância, completamente de doidos, dor de cabeça a agravar.
Lá começo eu a dar indicações... GPS totalmente a apontar para outro lado...
Quando o GPS encontra o sítio certo, faltavam 500 metros...e mesmo assim baralhou-se num cruzamento.

- é o satélite, sabe?
- sim, sei!

Entro em casa. São quase seis horas. Não vou ter tempo para estudar para as perguntas de amanhã! Enxaqueca aperta! Tomo comprimido. Atiro-me para cima da cama que não fiz.
Apaguei!


....



Acordo. São sete. Dor de cabeça aliviou. :) Vou ter de estudar...

2 comentários:

ribas67 disse...

Quer-me parecer que o dia não foi fácil, mas a noite é boa conselheira e resolve tudo...

Como Estás disse...

Que dia de #$%&" !

Blip.fm